Sistema de registro de nome de domínio e responsabilidade civil (subjetiva) do chamado 'provedor de registro'

o necessário (re)enquadramento ao Marco Civil da Internet diante de um inaplicável “paradigma” do STJ

Palavras-chave: registro de nomes de domínio, Provedores de domínio, Marco Civil da Internet, Lei 12.965/14, Responsabilidade subjetiva

Resumo

Como deve ser atribuída a responsabilidade civil dos provedores de registro, diante da omissão do Marco Civil da Internet?  Diante da falta de um tratamento específico da matéria, alguns debates começam a ressurgir, impulsionados pela invocação equivocada de um equivocado precedente do STJ que não se aplica ao caso, sendo indispensável o debate em razão da relevância da matéria.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Diogo L. Machado de Melo
Pós-Doutor em Ciências Jurídico-Civis pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (2015-2017). Doutor em Direito Civil pela PUC-SP. Mestre em Direito Civil pela PUC/SP. Especialista em Direito Processual Civil pela PUC-SP. Diretor Administrativo do Instituto dos Advogados de São Paulo - IASP (triênio 2019-2021). Diretor Executivo do Instituto de Direito Privado - IDiP. Professor da Faculdade de Direito da Universidade Presbiteriana Mackenzie.
Publicado
24-11-2021
Como Citar
MELO, D. L. M. Sistema de registro de nome de domínio e responsabilidade civil (subjetiva) do chamado ’provedor de registro’: o necessário (re)enquadramento ao Marco Civil da Internet diante de um inaplicável “paradigma” do STJ. Revista IBERC, v. 5, n. 1, p. 1-12, 24 nov. 2021.
Seção
Doutrina Nacional